Tratorista ameaça funcionário em fazenda de Corumbá e acaba preso pela Polícia Civil

Tratorista ameaça funcionário em fazenda de Corumbá e acaba preso pela Polícia Civil

A Polícia Civil, por intermédio da 1ª Delegacia de Corumbá-MS, prendeu nesta quarta-feira, 24/04, um tratorista de 33 anos de idade, que teria ameaçado um funcionário de uma fazenda localizada na região do Pantanal do Paiaguás. Segundo apurado, na terça-feira, 23/04, a unidade policial recebeu a denúncia dos fatos e diante da gravidade dos fatos, o Delegado plantonista, Iago Adonis Ismerim Soares dos Santos, designou uma equipe da SIG (Seção de Investigações Gerais), para a localidade.

Para averiguar foi preciso que os policiais se locomovessem de táxi aéreo por 1 hora e meia, tendo em vista que o local é remoto. As ameaças estariam sendo feitas com a utilização de uma arma de fogo, calibre .38, no entanto, quando viu a aproximação dos policiais o autor escondeu o armamento na mata, não sendo possível localizar tendo em vista que a fazenda possui cerca de 80 mil hectares. 

O autor das ameaças possui uma extensa ficha criminal, com passagens por violência doméstica, posse irregular de arma de fogo, ameaça, além de se intitular como membro de de facção criminosa. Além disso, informações de inteligência indicavam que ele estava ameaçando policiais nas redes sociais.

Ele foi abordado e preso, admitindo ter utiizado a arma contra o trabalhador da fazenda, alegando que agiu em legítima defesa, após ser ameaçado. Durante as investigações, três testemunhas confirmaram que o homem portava um revólver .38 com cabo de borracha preta, utilizado de forma ostensiva na cintura.

Segundo os relatos, o indivíduo teria escondido a arma no matagal ao perceber a chegada da equipe policial. Os policiais fizeram buscas no local, no entanto, até o momento a arma não foi localizada. O indivíduo foi conduzido à Delegacia de Polícia para os procedimentos legais.

Esse caso destaca a importância do trabalho conjunto entre a polícia e a comunidade para combater a criminalidade e garantir a segurança de todos, mesmo em áreas de difícil acesso.