Projeto “Entre Elas” promove resgate de autoestima e integridade para reeducandas e egressas em Paranaíba

Projeto “Entre Elas” promove resgate de autoestima e integridade para reeducandas e egressas em Paranaíba

“Entre Elas” é o nome do mais novo projeto desenvolvido pelo Patronato Penitenciário de Paranaíba com o objetivo de apoiar mulheres em situação de vulnerabilidade social, incluindo internas em regime semiaberto e aberto e egressas atendidas pela instituição, com seus familiares.

Iniciado na última quinta-feira (18), visa resgatar a autoestima, integridade e identidade das participantes por meio de ações de impacto, eventos, palestras e mentorias. A iniciativa busca promover o desenvolvimento pessoal e social dessas mulheres, independentemente de sua classe social.

Equipe do Patronato Penitenciário com palestrantes.

O foco principal é oferecer suporte às internas, egressas e seus familiares com atividades que estimulem a interação e o crescimento pessoal. Para isso, estão previstos uma série de encontros mensais, em que serão realizadas oficinas, exibição de vídeos, rodas de conversa e palestras.

O projeto é coordenado pela diretora do Patronato Penitenciário de Paranaíba, Tuliana Cecilia Machado Malheiros Marques, em conjunto com as policiais penais Fernanda Castanheira Amaral, Gabriela Francisco Alonso e Leandra Salustina da Silva Oliveira.

No primeiro encontro, o “Entre Elas” contou com a participação das palestrantes Lisangela Meire Felipe Vieira, especialista em Psicoterapia Alternativa e Coaching Emocional Humanizado, e Josiane Alfaro de Socorro, Fisioterapeuta e Coaching Terapeuta Quântica, especialista em Terapia Comportamental.

“A proposta do projeto ‘Entre Elas’ é construir junto com essas mulheres a capacidade de elas poderem se olhar na sociedade como membro participante e determinante, capaz de interagir, mudá-la e transformá-la, bem como buscar o resgate de suas identidades e autonomia”, destaca a diretora.

A intenção, segundo Tuliana, é que a iniciativa seja um importante passo no apoio às mulheres em situação de vulnerabilidade, promovendo a sua reinserção social e o fortalecimento de sua autoconfiança e independência.

Keila Oliveira, Agepen