Ponte sobre rio Paraguai passa por 2ª etapa de concretagem neste fim de semana e ficará interditada

Ponte sobre o Rio Paraguai Foto Saul Schramm

No próximo sábado, dia 4 de maio, a ponte sobre o Rio Paraguai, localizada em Corumbá e parte da BR-262, passará por mais um marco importante em seu processo de recuperação. A ponte será temporariamente interditada para a concretagem do segundo ponto. A interdição terá início às 17h de sábado (4) e se estenderá até às 12h de domingo (5).

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), vinculada à Seilog (Secretaria de Infraestrutura e Logística), alerta que os motoristas precisam ficar atentos com relação à interdição do tráfego no local. Devido a realização das obras em dois pontos simultâneos, será necessário um período de interdição mais prolongado.

A interdição completa da ponte, com duração estimada de 21 horas, é necessária para possibilitar as operações de concretagem em dois locais distintos. Isso implica em uma movimentação mais intensa das plataformas antes e após o período de cura do concreto. Essa medida visa garantir a restauração plena da condição estrutural da ponte, após um planejamento cuidadoso para minimizar os impactos no tráfego local.

Em situações de emergência, como o tráfego de ambulâncias, serão adotadas medidas para garantir uma passagem segura, com o acompanhamento de veículos de apoio designados pela Agesul.

A Seilog reforça que essa interdição é essencial para assegurar a completa restauração estrutural da ponte. Esta é a segunda interdição pela qual a ponte passará, restando apenas mais um processo de interrupção do tráfego. “Estamos solicitando a compreensão da população neste momento. Esta obra é de extrema importância e fundamental para garantir a integridade estrutural da ponte”, ressalta o secretário Helio Peluffo.

A ponte recebe diariamente o tráfego de veículos de empresas de transporte coletivo, de cargas e de moradores que dependem dela para se locomover. “Pedimos a todos que se programem adequadamente durante este curto período de interdição. A Agesul tem realizado uma ampla divulgação dessas interdições para evitar prejuízos tanto para as empresas quanto para a população que utiliza essa via. Optamos por realizar o trabalho mais intenso durante a noite e a madrugada para minimizar o impacto da interdição no trajeto das pessoas”, explica Peluffo.

A Agesul emitiu comunicado informando a interdição temporária a empresas de transporte de minério, órgãos estaduais e federais, incluindo a Prefeitura de Corumbá e Ladário, Polícias Rodoviária Federal e Militar, Corpo de Bombeiros Militar de Corumbá, DNIT, Ministério Público Estadual, Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Rodoviário de Corumbá e Ladário, e Marinha Brasileira. Além disso, foi instalada uma faixa ao longo da semana alertando sobre a interdição, e um letreiro eletrônico na ponte informará o período em que estará fechada.

Luciana Bomfim, Seilog/Agesul

Fotos: Saul Schramm