Policial Militar da PMMS defende tese de Doutorado sobre as práticas policiais do PROERD

Policial Militar da PMMS defende tese de Doutorado sobre as práticas policiais do PROERD

Campo Grande (MS) – Na segunda-feira (25), a sargento PM Dieny Souto, da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul defendeu sua tese de doutorado em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Com o título “O sujeito policial do Proerd e os processos de objetivação em práticas discursivas relativamente não estabilizadas”, sob orientação do Prof. Dr. Pedro Navarro, a policial militar, professora, pensadora, pesquisadora e agora doutora, defendeu em seus estudos, asserções em torno dos objetos policial militar/instrutor Proerd, enquanto sujeito em determinadas ordens do discurso, sobretudo à escolar em região de fronteira, no domínio da Análise do Discurso, mais especificamente sob o viés dos Estudos Discursivos Foucaultianos.

Nesse sentido, a tese apresentou a comparação das práticas do policial instrutor do Proerd da região de fronteira Ponta Porã-Pedro Juan Caballero com a capital Campo Grande. Dessa forma, as aulas do Proerd ministradas em escolas da fronteira em língua guarani, além de estreitar os laços de policiamento comunitário, pode dar destaque a esse importante idioma, de modo a valorizar a cultura dos habitantes da região. Isso também lança luz às práticas mais humanas advindas da atividade do policial militar instrutor do Proerd, a partir de sua atuação em locus escolar.

Nessa perspectiva, o objetivo maior da pesquisa foi lançar visibilidade às técnicas educacionais do policial instrutor do Proerd, para tanto, “o contraponto da minha posição de sujeito intelectual, ou seja, de pesquisadora, é justamente ocupar (social e discursivamente) a posição de policial militar, instrutora do Proerd. Tal prática pôde contribuir para contrastar os saberes compreendidos pelo viés teórico com o conhecimento empírico. Tal procedimento possibilitou verificar que, apesar de circularem discursos que produzem medo sobre as ações policiais, há discursos que se alegram, sentem-se protegidos e bem com sua presença, a partir das práticas de policiamento ostensivo preventivo, por meio das aulas do Proerd”, destacou a policial doutora.

O Proerd completa agora em 2024, 27 anos de atuação ininterrupta em MS e esse marco histórico é resultado do bom entrosamento e firme comprometimento da PMMS com outros atores sociais, principalmente com o segmento da Educação. E é dessa realidade que, segundo a policial pesquisadora, os dados emergem positivamente em toda a pesquisa, tendo em vista que os discursos estudados se convergem justamente no sentido de mostrar que o policial militar instrutor do Proerd, ou seja a atuação dos instrutores e instrutoras do Proerd no ambiente escolar além de bem quista, ecoa uma importante conscientização de vida, despertando no público participante a vontade de dizer sim à vida e não às drogas e à violência. “Dou glórias a Deus pelo fechamento deste ciclo que produz grande alegria na minha vida, a qual é digna de ser compartilhada com toda família Policial Militar e com a equipe proerdiana. Tenho fé que, por meio de Deus, foi possível galgar cada passo acadêmico, cada gesto interpretativo de pesquisa em prol de mostrar à comunidade científica a existência de práticas positivas do policial militar, sobretudo em se tratando das práticas de Policiamento Preventivo do Instrutor Proerd. Cada passo dado é relevante, portanto, prossigamos nesse caminho do bem e pelo tempo que Deus nos confiar”, finalizou Dieny.

Lotada na Diretoria de Polícia Comunitária e Direitos Humanos (DPCOM), sargento Dieny é Instrutora e Mentora do Proerd e, em 2017 defendeu sua dissertação de mestrado intitulada: Luz, câmera, ação: drogas não! Representações discursivas sobre drogas no discurso de alunos do Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD). Além desse trabalho, é integrante do grupo de pesquisa “Diagnóstico Proerd-MS”, investigação que estuda discursos de alunos e professores que vivenciaram o programa da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul. Essa parceria firmada entre a PMMS e a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) resultou na publicação de um livro no ano de 2019, tendo a instrutora Proerd Dieny como uma das organizadoras do mesmo.  

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul estimula seus policiais, de forma correlata, a aprimorarem suas habilidades e a gerarem conhecimento científico de alto nível enquanto desempenham suas responsabilidades na qualidade e no âmbito de profissionais de segurança pública. Isso se dá também através de seus centros de formação de praças e de oficias, sendo eles respectivamente: Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CEFAP) e Academia de Polícia Militar (APM), porque a “PMMS Não Para”.

Texto e Imagens : Assessoria de Comunicação da DPCOM