Polícia Civil do Mato Grosso do Sul Deflagra 4ª fase da operação “Bypass” e cumpre mandados de busca, apreensão e de prisão em São Paulo

Polícia Civil do Mato Grosso do Sul Deflagra 4ª fase da operação “Bypass” e cumpre mandados de busca, apreensão e de prisão em São Paulo

A Polícia Civil do Estado de Mato Grosso do Sul, por intermédio da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros – GARRAS, deflagrou a 4ª fase da Operação “By Pass”, se deslocando até o Estado de São Paulo e cumprindo oito mandados judiciais de busca e apreensão e três de prisão, em desfavor de D.C.M. (37), R.S.M. (39) e R.S.C. (21). As ações foram iniciadas na segunda-feira (18) e finalizadas hoje (21).

Durante os cumprimentos das ordens judiciais, foi apreendido o aparelho celular utilizado para configurar o dispositivo eletrônico responsável pela subtração de valores milionários de agência bancária de Campo Grande/MS. Além disso, em uma das residências objeto de busca e apreensão, foi recuperado aproximadamente R$ 50 mil, em dinheiro, que foram subtraídos da instituição financeira, pela organização criminosa na ocasião dos fatos. Os valores foram depositados judicialmente e ficarão à disposição da vítima.

Foram apreendidos, ainda, diversos elementos probatórios que servirão para aprofundamento das investigações. D.C.M. (37), R.S.M. (39) e R.S.C. (21) foram conduzidos à sede do GARRAS, onde prestarão declarações e ficarão à disposição da Justiça.

Entenda o caso

A Operação By Pass se refere a investigação desenvolvida pela Polícia Civil, por intermédio do GARRAS, para apuração de crime de furto qualificado mediante fraude com utilização de dispositivo eletrônico, organização criminosa e lavagem de capitais. No final de agosto de 2023, a Especializada tomou conhecimento do crime de furto qualificado contra uma agência bancária situada no município de Campo Grande/MS, que gerou um prejuízo de aproximadamente R$ 1,5 milhão à instituição financeira vítima.

Durante as investigações, ficou comprovado que o crime foi orquestrado por uma organização criminosa especializada em furtos a banco, com núcleo no Estado de São Paulo, mas que estende braços operacionais em diversos Estados da Federação, subtraindo valores milionários de instituições financeiras por todo o Brasil. Até o momento, foram deflagradas quatro fases da operação, que, no total, materializam o cumprimento quase 20 mandados de busca e apreensão e nove de prisão, em desfavor de indivíduos integrantes da organização criminosa.

Google search engine