Polícia Civil cumpre mandado e prende mulher investigada por participação no homicídio com ocultação de cadáver. Todos os quatro envolvidos foram presos em Sidrolândia

Polícia Civil cumpre mandado e prende mulher investigada por participação no homicídio com ocultação de cadáver. Todos os quatro envolvidos foram presos em Sidrolândia

No último sábado (26), a Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Sidrolândia, cumpriu Mandado de Prisão Preventiva e prendeu uma mulher, de 19 anos, investigada por sua participação no homicídio que vitimou Magno Monteiro, de 42 anos, assassinado e enterrado no quintal do terreno onde morava. A justiça acatou a representação pela prisão preventiva feita pela Autoridade Policial e expediu o mandado na noite de ontem, que foi cumprido pela polícia civil na tarde de sábado.

A autuada é uma parente distante da vítima e esteve na Delegacia de Polícia em fevereiro desse ano para registrar uma ocorrência de violência doméstica e no registro informou que seu namorado ameaçou fazer com ela o mesmo que fez com Magno, ou seja, matá-la e enterrar o corpo no quintal da casa. A partir de então, a linha de investigação da polícia acerca do caso mudou e esse núcleo familiar virou o principal suspeito do crime.

Durante as investigações, ficou constatado que essa vítima de violência doméstica teve participação no crime, tendo sido encarregada de avisar o namorado, no dia do crime, que a vítima estava em casa, já que residiam no mesmo quintal, e o fez sabendo que os outros três autores estavam indo até lá para ceifar a vida de Magno. Também participou fornecendo materiais de limpeza para que os autores faxinassem o local no dia seguinte ao homicídio. A motivação do crime foi uma disputa pelo terreno da família.

A mulher chegou a acompanhar os trabalhos investigativos da polícia e participou de duas buscas anteriores no terreno, efetuadas pela Polícia Civil e corpo de bombeiros visando encontrar o corpo de Magno, como se nada soubesse, mas sempre teve conhecimento de que os restos mortais da vítima estavam enterrados no local, tendo, inclusive, participado do homicídio.

Com a prisão da última dos quatro envolvidos, a polícia civil conclui o caso, indiciando os autores por homicídio qualificado (por motivo fútil, com emprego de meio cruel e por recursos que impediram a defesa da vítima) e por ocultação de cadáver.