Núcleo Institucional da Cidadania (NIC) da Polícia Civil participa de Simpósio contra a LGBTIA+fobia em Campo Grande

Núcleo Institucional da Cidadania (NIC) da Polícia Civil participa de Simpósio contra a LGBTIA+fobia em Campo Grande

Na última terça-feira (14), a Delegada Maíra Pacheco Machado, Coordenadora do Núcleo Institucional da Cidadania (NIC) da Polícia Civil, participou do simpósio “Combate à LGBTIA+fobia”. O evento foi organizado pela Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, através do Núcleo de Direitos Humanos (Nudedh), e realizado no auditório da Escola Superior da Defensoria Pública do estado.

A coordenadora do Nudedh, defensora pública Thaísa Defante, destacou que o simpósio promoveu palestras sobre igualdade de direitos, desconstrução de estereótipos, acesso aos cuidados de saúde para pessoas transmasculinas e combate à violência contra mulheres lésbicas e bissexuais. “Foi uma oportunidade para a Defensoria Pública contribuir para a construção de uma sociedade mais inclusiva e respeitosa para todas e todos”, afirmou Thaísa.

Programação do Evento:

– 14h00: Desconstruindo Estereótipos – Promovendo a igualdade de direitos das pessoas LGBTQIA+ 

  Palestrante: Ana Carolina

-14h40: Acessos e cuidados nos sistemas de saúde em relação à gravidez, parto e aleitamento de pessoas transmasculinas

– 15h50: Cartilha Mulheridades Lésbicas e Bissexuais de MS: visibilidade, representatividade e combate à violência 

Palestrante: Ludmila Neves Müller

– 16h30: Equidade e interseccionalidade: desafios para construção de políticas de enfrentamento à LGBTQIAP+fobia 

 Palestrante: Diógenes Egídio Cariaga

O evento antecede o Dia Internacional de Combate à Homotransfobia, comemorado em 17 de maio. Esta data foi instituída em 1990 quando a OMS retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID). O objetivo é promover ações contra o preconceito e discriminação contra pessoas LGBTQIA+ e conscientizar sobre o respeito às diferentes orientações sexuais e identidades de gênero.

A homotransfobia, ou LGBTfobia, refere-se a qualquer violência física, moral, patrimonial ou psicológica motivada pela orientação sexual ou identidade de gênero, e atualmente é considerada crime inafiançável no Brasil, punível com reclusão de dois a cinco anos sob a lei de racismo.

O simpósio contou com a presença de diversos militantes do movimento LGBTQIAPN+, além de autoridades como as defensoras públicas Zeliana Luzia Delarissa Sabala e Thaísa Raquel Medeiros de Albuquerque Defante, o Defensor Público Mateus Augusto Sutana e Silva, o Subsecretário de Políticas Públicas LGBT Vagner Campos Silva, a coordenadora de Políticas Públicas para População LGBTQIA+ e fundadora da ATMS Cris Stefany, a psicóloga Priscilla Carla dos Santos Justi, nova subsecretária municipal de Defesa dos Direitos Humanos, a Secretária de Estado da Cidadania Viviane Luiza da Silva, e o secretário-executivo da Secretaria Executiva de Direitos Humanos da Sead, advogado Ben-Hur Ferreira.

A presença do Núcleo Institucional da Cidadania (NIC) da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, representado pela Delegada Maíra Pacheco Machado, destacou a importância da integração das forças de segurança pública na promoção e defesa dos direitos da população LGBTQIA+, reforçando o compromisso com uma sociedade mais inclusiva e segura para todos.