Homem que mantinha a companheira adolescente em cárcere é preso pela Polícia Civil em Dourados

Homem que mantinha a companheira adolescente em cárcere é preso pela Polícia Civil em Dourados

No início da manhã desta quarta-feira (05), a vítima K.F.G.B.A. (17) compareceu na Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Dourados-MS, noticiando que estava sendo mantida em cárcere privado desde o final de semana e que, neste tempo, estava sendo agredida, ameaçada e que, além disso, o companheiro J.I.S.S. (25), por ciúmes e posse, enfiava o dedo em seu órgão genital a fim de verificar vestígios de relação sexual com outros homens.

Durante o registro, foi possível ver as marcas dos hematomas nas pernas da vítima, além de arranhado em seus braços. Diante da informação, a equipe da DAM realizou buscas e conseguiu localizar e prender o autor. Em interrogatório, J.I.S.S. não quis se manifestar.

Além de vítima e autor, duas testemunhas prestaram depoimento. A tia da vítima, que a acompanhou na condição de representante legal, confirmou os fatos. Narrou, que, durante a madrugada de ontem, o autor dos fatos esteve à procura da vítima e chegou a ir até a residência da depoente, muito agitado e agressivo pelo efeito da substância entorpecente, ameaçando de matá-la. Já durante a manhã, teve notícias pela genitora do autuado que J.I.S.S. colocou fogo nas roupas e calçados da vítima.

Em depoimento, a mãe do autor confirmou as versões. Afirmou que, de fato, seu filho agride mulheres, inclusive a própria irmã. E, sobre as agressões físicas, apresentou fotos do chinelo que ele usou para lesionar a vítima, que chegou a arrebentar com os golpes.

Contou, ainda, que viu os pertences da vítima queimados e a avisou. Quanto à violação sexual, a depoente afirmou que, antes da prisão, a vítima K.F.G.B.A. tinha lhe contado que o autor havia feito motivado por ciúmes e alucinações.

Diante dos fatos, J.I.S.S. foi preso em flagrante delito pelos crimes de cárcere privado na forma qualificada, estupro, ameaça e dano. A Autoridade Policial, delegada Ariana Gomes, também representou pela prisão preventiva dele.