Em menos de 24 horas, Polícia Civil desvenda latrocínio ocorrido em Três Lagoas

Em menos de 24 horas, Polícia Civil desvenda latrocínio ocorrido em Três Lagoas

Na manhã desta quinta-feira (28) a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul elucidou um crime brutal ocorrido na noite anterior, no Município de Três Lagoas. Na ocasião, Uederson Moreira do Nascimento foi encontrado sem vida às margens da rodovia BR-262, próximo ao Posto Real.

Logo após o registro da ocorrência, ainda no dia 27/03, uma equipe da Delegacia de Pronto Atendimento de Três Lagoas (DEPAC/TL) se dirigiu ao local do crime para coletar vestígios, enquanto as equipes da Seção de Investigações Gerais (SIG) e da 3ª Delegacia de Polícia Civil do município iniciaram diligências, para identificar os autores do crime.

As ações continuaram sem interrupção até a manhã seguinte (28), quando os policiais civis da 3ª Delegacia prenderam, no Jardim Planalto, um dos autores, identificado como W.D.S.M., de 32 anos, conhecido como “Tatu”. Durante a abordagem, “Tatu” negou veementemente ter cometido o homicídio, porém admitiu estar presente no momento em que o outro autor fugiu do local com o veículo da vítima. Ele informou aos policiais que o outro indivíduo era conhecido por “Nego” e estava foragido do sistema prisional.

Com base nas informações fornecidas por “Tatu”, uma força-tarefa foi montada e os policiais da SIG e da 3ª Delegacia conseguiram prender em flagrante o segundo envolvido no crime, identificado como W.D.S., de 38 anos, alcunha “Nego”. Ele foi capturado no local conhecido como “Inferninho”, no bairro Carioca.

“Nego”, que já possuía passagens criminais por homicídio e roubo, estava foragido da Colônia Penal Industrial desde o final de 2023. Ele confessou o crime.

Ele admitiu ter desferido os golpes de faca contra a vítima, com a ajuda de “Tatu”, e indicou o local onde abandonou o veículo da vítima, próximo à Rodovia BR-262. Esclareceu ainda que a motivação do crime foi o furto do carro.

As equipes policiais recuperaram o automóvel no local indicado. “Nego” e “Tatu” enfrentarão acusações pelo crime de latrocínio, podendo ser condenados a até 30 anos de reclusão.

A rápida resolução desse crime reflete o comprometimento e a eficácia da Polícia Civil na busca pela justiça e proteção da comunidade.

Denúncias poderão ser feitas através do Whats App (67) 99204024/ 35243224/ 39291173 e 99226 8210. O sigilo e anonimato são assegurados.

Google search engine