Dia da Escola: investimento na infraestrutura e novas plantas escolares contribuem na aprendizagem em MS

Dia da Escola: investimento na infraestrutura e novas plantas escolares contribuem na aprendizagem em MS

Com previsão de R$ 500 milhões de investimentos nos dois primeiros anos da atual gestão, com reformas de unidades escolares em todo Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado entrega infraestrutura escolar de qualidade aos estudantes e profissionais da educação, contribuindo significativamente para a melhoria da aprendizagem.

Pensando no bem-estar do aluno e no objetivo de oferecer um ambiente escolar de qualidade, que envolva tanto o espaço físico da escola como salas de aula, refeitório e outros, quanto os recursos materiais e humanos, as reformas são realizadas visando a oferta das condições ideais de ensino.

Para a realização das intervenções, a equipe de engenharia e arquitetura da SED (Secretaria de Estado de Educação) ouve as solicitações dos gestores, analisa todas as demandas e também visita cada unidade escolar, avaliando os pontos que necessitam passar por reforma.

“Os diretores solicitam as reformas e nós também vamos até a escola e fazemos um levantamento de tudo que é necessário para melhorar a infraestrutura de cada unidade, contribuindo assim com a aprendizagem dos alunos”, afirma Andressa Salicano, arquiteta da Cogesp (Coordenadoria de Infraestrutura, Fiscalização e Gestão de Obras Públicas).

Com os investimentos, o estudante recebe uma escola estruturada, tornando as atividades escolares mais atrativas e estimulantes, pois a aprendizagem não se resume apenas à teoria em sala de aula, somando com experiências práticas e as atividades extracurriculares, bem como um ambiente renovado e revitalizado.

O atendimento aos alunos com necessidades especiais, também é uma das prioridades. Para esse público, as reformas visam possibilitar o melhor acesso por meio de itens como, corrimãos, rampas, piso tátil, banheiros e espaços comuns da escola adaptados para condições específicas.

Novidade

Para as reformas a equipe técnica da SED segue uma série de critérios, normativas e protocolos com regras para a realização das obras, que vão desde intervenções de grau baixo (como pintura e acessibilidade), passando por reformas parciais e até reformas gerais, com o completo recondicionamento dos prédios.

O mesmo acontece para a construção de novas escolas, que seguem um planejamento específico, como é o caso das novas escolas de Ponta Porã e Ribas do Rio Pardo, que foram desenvolvidas para atender as demandas dos municípios.

Cada uma delas será composta por 20 salas de aulas. Considerando 30 estudantes por sala de aula, uma unidade com essas dimensões pode atender cerca de 1800 alunos, se funcionar nos três períodos.

Como parte da infraestrutura, na atual planta, cada unidade terá laboratório de múltiplo uso, sala de tecnologia, biblioteca, sala de múltiplo uso, refeitório coberto, quadra poliesportiva com arquibancada coberta, pátio coberto e espaços de convivência e um setor administrativo completo, dependência de funcionários, depósitos e demais áreas de apoio.

“A organização dos setores proposta no projeto, tem como objetivo facilitar a circulação e otimizar o uso dos espaços, além de proporcionar uma maior integração entre os mesmos”, explica Tacia Ronda, coordenadora Cogesp.

Responsável por mais de R$ 300 milhões em investimentos somente no primeiro ano, o projeto de estrutura física da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul terá sequência neste ano de 2024, com a previsão de atender mais cinquenta unidades escolares, com reformas integrais, parciais e ampliações.

Benefícios dos investimentos na infraestrutura escolar

  • Socialização dos alunos: atividades práticas e de lazer, por serem mais dinâmicas, favorecem os relacionamentos interpessoais, tanto com os colegas quanto com os professores;
  • Estímulo à criatividade: atividades dinâmicas promovem a curiosidade e a autonomia dos alunos, como em um espaço maker, onde os próprios alunos desenvolvem ou constroem algo e, a gamificação, que aborda os objetos de conhecimento de forma lúdica e divertida;
  • Diferentes formas de aprender: cada aluno aprende de uma maneira, por isso diversificar o ensino contribui para o desenvolvimento de várias habilidades. Assim, um mesmo conteúdo pode ser ensinado por meio de filmes, jogos, dinâmicas e atividades práticas. Nesse contexto, as metodologias ativas são recomendadas;
  • Participação da família: dispor de um espaço estruturado permite à família que frequente mais a escola e participe de eventos e atividades que acolham a todos;
  • Maior engajamento dos alunos: um ambiente estimulante e agradável, que oferece experiências diversificadas, favorece o interesse nas atividades e a interação no ambiente escolar;
  • Melhora o desempenho acadêmico: uma formação que oferece experiências diversificadas, como o uso de laboratórios, metodologias inovadoras e recursos tecnológicos, promove o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias para uma formação integral;
  • Acessibilidade;
  • Inclusão social;
  • Conforto térmico e acústico.

Jackeline Oliveira, Comunicação SED
Foto: Ricardo Agra/SED