Com brincadeiras e diversão crianças aprendem cuidados para evitar a Síndrome Mão-Pé-Boca

Com brincadeiras e diversão crianças aprendem cuidados para evitar a Síndrome Mão-Pé-Boca

O ‘Dia D’ da campanha ‘Mão-Pé-Boca’, realizado na quarta-feira (5), foi marcado por muitas brincadeiras e diversão dos alunos do CEI ZEDU (Centro de Educação Infantil – José Eduardo Martins Jallad) e de outras unidades de ensino de 39 municípios do Estado.

Equipes de saúde e acadêmicos de enfermagem realizaram atividades para as crianças com o objetivo de informar de forma acessível e divertida sobre os cuidados para evitar a disseminação da doença.

Segundo a diretora-adjunta do CEI ZEDU, Maria de Fátima Martins, a atividade terá um impacto não somente no ambiente escolar, mas também dentro dos lares dos pequenos.

“Foi uma ação linda com muitas atividades lúdicas em uma linguagem que as crianças puderam entender e participar. Isso vai dar muitos reflexos na nossa comunidade escolar. Com certeza as crianças falarão isso para os pais em casa, provocando uma mudança nos hábitos”, disse.

Para a servidora pública, Alice Feldens, mãe de dois alunos da unidade a campanha é de extrema importância para a auxiliar nos cuidados e prevenção.

“As crianças ficam sempre juntinhas, em espaço fechado e quando um pega alguma gripe ou resfriado, acaba passando para outros. Com a conscientização, eles veem a importância de lavar as mãos e isso dá reflexos dentro de casa”, comenta.

O Mateus, de 5 anos, filho da servidora, também adorou a ação. Ele contou que aprendeu que “se colocar a mão suja na boca pode dar dor de barriga”. “Dói a barriga e eu choro bastante e falo: ‘mamãe, tá doendo minha barriga'”.

A técnica da gerência de Doenças Agudas e Exantemáticas da SES, Mônica Danielle Nóbrega Alpire, relembra que a campanha tem como objetivo de reduzir o número de casos da síndrome causada pelo vírus Coxsackie da família dos enterovírus – que acomete principalmente crianças menores de 5 anos.

“As crianças serão replicadoras do conhecimento adquirido durante o ‘Dia D’. Foi uma ação muito linda que também aconteceu em várias cidades do Estado. Teremos mais atividades na semana que vem em municípios do interior”, afirma.

Conforme o enfermeiro, professor da Anhaguera Unaes e parceiro da ação, Dhonat de Oliveira Tenório, os alunos do curso de enfermagem puderam colocar em prática, com supervisão, os ensinamentos adquiridos em sala de aula.

“Essa parceria com a SES possibilitou que os alunos conhecessem mais um público que eles vão atender lá na frente em hospitais e clínicas. Um dia muito gratificante, criança é replicadora de mensagem. Com certeza os pais ouvirão bastante sobre a importância de lavar as mãos”.

Todos pela prevenção

A campanha conta com o apoio e parceria da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) – Campus: Campo Grande, Coxim e Três Lagoas – e Universidade Anhanguera – Polos: Campo Grande, Aquidauana, Chapadão do Sul, Corumbá, Ponta Porã, Naviraí e Itaquiraí. Participam os municípios de Anastácio, Anaurilândia, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Aral Moreira, Bandeirantes, Bataguassu, Batayporã, Brasilândia, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Glória de Dourados, Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Jaraguari, Japorã, Jardim, Ladário, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nova Andradina, Nioaque, Novo Horizonte do Sul, Paraíso das Águas, Paranaíba, Paranhos Ponta Porã, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Terenos e Três Lagoas.

Nos município de Corumbá e Dourados as ações acontecem nos dias 11 e 12 de junho, conforme calendário estabelecido pelos municípios.

Mão-Pé-Boca

Caracterizada por erupções cutâneas nas mãos, pés e boca, além de outros sintomas como febre e mal-estar geral, a doença transmitida por vírus pode se espalhar rapidamente, especialmente em ambientes como creches e escolas. Para proteger as crianças e comunidades, é essencial estar ciente das medidas de prevenção e controlar a propagação da doença.

Se a criança apresentar sintomas de Mão-Pé-Boca, é importante que ela permaneça em casa para evitar infectar outras pessoas. Procure uma unidade de saúde para diagnóstico e orientação adequados.

Dicas de prevenção:

  • Higiene das mãos: Lavar as mãos regularmente com água e sabão é uma das formas mais eficazes de prevenir a propagação da doença. Incentive as crianças a lavarem as mãos após usar o banheiro, antes de comer e após tossir ou espirrar;
  • Limpeza e desinfecção: Superfícies e brinquedos frequentemente tocados por crianças devem ser limpos e desinfetados regularmente. Isso ajuda a reduzir o risco de contaminação e propagação do vírus;
  • Evitar contato próximo: Incentive as crianças a evitarem o contato próximo com indivíduos infectados, especialmente aqueles que apresentam sintomas da doença. Isso pode ajudar a reduzir a transmissão do vírus;
  • Etiqueta respiratória: Ensine as crianças a cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, preferencialmente com um lenço de papel descartável ou o braço dobrado. Isso ajuda a evitar a disseminação de gotículas infectadas no ar.

Kamilla Ratier e Marcus Moura, Comunicação SES