37º Aniversário da Polícia Militar Ambiental

37º Aniversário da Polícia Militar Ambiental

Campo Grande (MS) – No dia 19 de março, comemora-se o aniversário da Polícia Militar Ambiental (PMA), bem como celebra-se décadas de compromisso e dedicação à preservação do meio ambiente em Mato Grosso do Sul. Desde sua criação em 1987, esta unidade pioneira tem sido uma força vital na proteção dos recursos naturais do nosso Estado, defendendo a rica biodiversidade e ecossistemas únicos.

Originalmente criada para combater uma ameaça específica – a caça indiscriminada de jacarés no Pantanal – a Polícia Militar Ambiental evoluiu, para se tornar a maior unidade da PMMS, contando com 360 homens e mulheres dedicados em todo o Estado. Sua presença é garantia na segurança e também respeito a preservação ambiental.

Hoje, a Polícia Militar Ambiental embarca em uma nova etapa de sua história, marcada pela criação do CPAmb (Comando de Policiamento Ambiental) e pela instauração de um segundo batalhão de Polícia Militar Ambiental, com sede em Dourados. Estes avanços representam não apenas um reconhecimento do trabalho incansável desta instituição, mas também um impulso renovado para fortalecer sua capacidade de resposta.

Educação Ambiental

Entre suas atividades primordiais, destaca-se a educação ambiental, uma ferramenta essencial para conscientizar a população sobre a importância da conservação e da convivência harmoniosa com a natureza. Esta semana, em particular, as ações estão voltadas para preservação e uso sustentável dos recursos hídricos, em alusão ao Dia Mundial da Água que será no dia 22/03.

Entre as ações e programas educacionais desenvolvidos, destaca-se o Projeto Florestinha, um programa socioambiental criado em 1992, direcionado a crianças e adolescentes de 7 a 16 anos de idade, em situação de vulnerabilidade social.

O Projeto Florestinha engaja esses jovens como aprendizes e educadores ambientais, proporcionando-lhes oportunidades de aprendizado e desenvolvimento. Após receberem instruções de professores e policiais ambientais, os participantes, carinhosamente chamados de “florestinhas”, tornam-se multiplicadores do conhecimento, capacitados para realizar palestras e atividades de conscientização sobre a importância da preservação dos recursos naturais.

Além do Projeto Florestinha, a Polícia Militar Ambiental, através da 2ª Companhia de Corumbá realiza o “Projeto Expedição de Educação Ambiental no Pantanal” que, no ano de 2023, completou a 8ª Edição. O Projeto abrange as populações ribeirinhas e crianças das escolas rurais, em parceria com órgãos públicos: estaduais, federais, municipais e particulares; contribuindo desta maneira com a consciência da importância do meio ambiente.

 Dessa forma, a Polícia Militar Ambiental não apenas exerce seu papel de fiscalização e aplicação da lei, mas também investe ativamente na formação de uma sociedade sustentável com sensibilidade ambiental.

Avanços tecnológicos

Os investimentos em tecnologia têm sido uma prioridade fundamental para a PMA, a pouco foi criado o Núcleo Técnico Ambiental, uma iniciativa inovadora que reúne equipe multidisciplinar de policiais ambientais com formação técnica na área ambiental.

Este núcleo desempenha um papel crucial ao fornecer suporte especializado às equipes de fiscalização em campo. O uso de drones, por exemplo, permite uma visão aérea detalhada de áreas de difícil acesso ou de grande extensão, facilitando a identificação de atividades ilegais, como desmatamento, pesca predatória e caça ilegal. Além disso, os programas de geoprocessamento avançado permitem a análise e o cruzamento de informações geoespaciais, auxiliando na identificação de padrões e na tomada de decisões estratégicas.

Essas tecnologias não apenas aumentam a eficácia das operações de fiscalização, mas também contribuem para a segurança dos policiais e para a preservação dos recursos naturais. Ao investir em tecnologia de ponta, a Polícia Militar Ambiental reafirma seu compromisso com a modernização e a excelência na proteção do meio ambiente em Mato Grosso do Sul.

Assessoria de Comunicação Social do 1º BPMA