Secretário responsável por combate ao coronavírus deixa cargo no Ministério da Saúde

Secretário responsável por combate ao coronavírus deixa cargo no Ministério da Saúde

BRASÍLIA (Reuters) - O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, responsável diretamente pelo combate à pandemia do novo coronavírus no país, deixou o cargo nesta segunda-feira, conforme edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

A exoneração do secretário foi publicada como "a pedido" e assinada pelo ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto. Não foi nomeado um novo nome para a função de imediato. Recentemente, especulou-se que o cargo poderia ser oferecido ao chamado centrão como forma de angariar apoio para o governo no Congresso.

Wanderson havia anunciado no domingo que iria deixar a pasta nesta segunda, decisão que, segundo ele, já estava tomada desde a gestão de Luiz Henrique Mandetta à frente do Ministério da Saúde.

"A decisão foi tomada em 15/04, antes mesmo da saída do ministro Mandetta, a quem sou eternamente grato. No entanto, a pedido dele permaneci até a chegada de um novo ministro. Com a chegada do ministro Nelson Teich, em conversa no dia 20/04, coloquei o cargo à disposição. Ele me pediu para ficar mais algumas semanas. Assim procedemos e combinamos que após minhas férias em 20/05, iríamos acertar a data da publicação da exoneração", afirmou Wanderson em comunicado enviado aos colegas, ao qual a Reuters teve acesso.

Wanderson é o último dos secretários da linha de frente escolhidos pessoalmente por Mandetta a deixar o ministério. Ficou conhecido ao tomar a frente do combate à epidemia de coronavírus e estar sempre presente nas entrevistas, junto com Mandetta e o ex-secretário-executivo João Gabbardo, e foi o primeiro a dizer que não ficaria no ministério sem Mandetta.

Doutor em epidemiologia, Wanderson é servidor do Hospital das Forças Armadas cedido à Fundação Osvaldo Cruz, onde atuava como pesquisador, e deve voltar ao posto.

Em seu carta de despedida, o agora ex-secretário acrescentou que, na última quarta-feira acertou com o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, para sair da função nesta segunda-feira. "Ele solicitou-me para continuar ajudando na resposta, o que farei com o maior prazer."

Créditos de reportagem de Ricardo Brito